OBJETIVOS DO BLOGUE

Olá, bem-vindo ao blog "Chaves para a Sabedoria". A página objetiva compartilhar mensagens que venham a auxiliar o ser humano na sua caminhada espiritual. Os escritos contém informações que visam fornecer elementos para expandir o conhecimento individual, mostrando a visão de mestres e sábios, cada um com a sua verdade e experiência. Salientando que a busca pela verdade é feita mediante experiências próprias, servindo as publicações para reflexões e como norte e inspiração na busca da Bem-aventurança. O blog será atualizado diariamente com postagens de textos extraídos de obras sobre o tema proposto. Não defendemos nenhuma religião em especial, mas, sim, a religiosidade e a evolução do homem pela espiritualidade. A página é de todos, naveguem a vontade. Paz, luz, amor e sabedoria.

Osmar Lima de Amorim


terça-feira, 16 de junho de 2020

SONHOS

VIVENDO OS SONHOS DE DEUS - O Pantaneiro"Os sonhos relacionados com o corpo físico são de suas classes: os incoerentes e os coerentes.

Os sonhos incoerentes correspondem à parte densa do corpo físico e provêm do defeito ou excesso de irrigação cerebral, ou de sangue sujo ou muito quente que estimula os tecidos do cérebro e determina a extravagante vibração das células, cujo resultado são os pesadelos e demais cenas disparatadas e sem sentido nem explicação racional. Não trataremos dessa classe de sonhos, muito embora possam ser indícios das más condições em que funciona o corpo.

Mais interessantes são os sonhos coerentes ocasionados pelas impressões que recebe o duplo etéreo, onde ficam reproduzidas em representações ativas, segundo tem comprovado a experimentação psicológica. A água roçada no rosto tem dado motivo a sonhar em uma tempestade com acompanhamentos de trovões e relâmpados. A pressão no pescoço ocasionou um sonho de assassino. Outras experiências pelo método refere Duprel em sua Filosofia do Misticismo, e de todas eles se infere que em consciência hipnótica ou supraconciência, o cômputo ou noção do tempo difere notavelmente do mesmo cômputo ou noção em consciência vigílica, e daí se infere que a matéria relacionada com os ditos sonhos há de ser muito mais sutil que a matéria cerebral. O indivíduo dormindo despertou-se por um contato físico, imediatamente depois de ter caído em sono, pelo que resultou que em uma fração de segundo de tempo físico havia tido um sonho longo.

Não obstante, este método de observar a consciência hipnótica era deficiente pela insegurança, muito embora em alguns pontos satisfizesse a observação. Assim, por exemplo, a complexidade do sonho variava segundo a potência mental do sonhador. Geralmente falando, os sonhos ou sonos etéreos são de índole grotesca, como mosaicos de passados acontecimentos ou cenas derivadas de alguns acontecimentos da vida diária ou de alguma pressão externa ou interna no corpo físico. Na opressão cardíaca que o diafragma exerce nos casos de flatulência pode provir um sonho que represente a desesperada luta do sonhador contra um ladrão que o tente estrangular. A indigestão provoca muitos destes pesadelos. O ego neste momento se acha ausente do corpo físico; e o cérebro, com sua contraparte etérea, entremescla fantasticamente os fragmentos das impressões recebidas durante a vigília. O automatismo material reproduz movimentos passados que, por estar ausente a razão, se relacionam disparatadamente uns com os outros. As entidades etéreas percebem as vibrações destes movimentos e aumentam a confusão. Assim é que não devemos fazer caso dos sonhos etéreos, exceto como indícios de condições patológicas, para o qual servem algumas vezes.

Não obstante, nem os sonhos cerebrais nem os sonhos etéreos pertencem à verdadeira consciência astral, porque em ambos o ego está ausente. Segundo dissemos antes, durante o sono físico, o ego revestido de todos os seus corpos, exceto o físico, fica livre de sua prisão de carne e tem então como roupagem externa o corpo astral, isto é, que vive no mundo astral, deixando o físico."

(Annie Besant - A Vida do Homem em Três Mundos - Ed. Pensamento, São Paulo - p. 63/65)

Nenhum comentário:

Postar um comentário