OBJETIVOS DO BLOGUE

Olá, bem-vindo ao blog "Chaves para a Sabedoria". A página objetiva compartilhar mensagens que venham a auxiliar o ser humano na sua caminhada espiritual. Os escritos contém informações que visam fornecer elementos para expandir o conhecimento individual, mostrando a visão de mestres e sábios, cada um com a sua verdade e experiência. Salientando que a busca pela verdade é feita mediante experiências próprias, servindo as publicações para reflexões e como norte e inspiração na busca da Bem-aventurança. O blog será atualizado com postagens de textos extraídos de obras sobre o tema proposto. Não defendemos nenhuma religião em especial, mas, sim, a religiosidade e a evolução do homem pela espiritualidade. A página é de todos, naveguem a vontade. Paz, luz, amor e sabedoria.

Osmar Lima de Amorim


terça-feira, 11 de junho de 2024

O PONTO DE VISTA

"5. A ideia clara e precisa que se faça da vida futura dá uma fé inabalável do porvir, e essa fé tem consequências enormes sobre a moralização dos homens, porque muda completamente o ponto de vista sob o qual eles encaram a vida terrena. Para quem se coloca, pelo pensamento, na vida espiritual, que é indefinida, a vida corpórea se torna simples passagem, breve estação num país ingrato. As vicissitudes e tribulações dessa vida não passam de incidentes que ele suporta com paciência, pois sabe que são de curta duração e devem ser seguidas por um estado mais feliz. A morte nada mais terá de assustador; deixa de ser a porta que se abre para o nada para ser a porta da libertação que faculta ao exilado a entrada numa morada de felicidade e de paz. Sabendo que está num lugar temporário, e não definitivo, o homem encara as preocupações da vida com mais indiferença, resultando-lhe daí uma calma de espírito que abranda as suas amarguras.

Pelo simples fato de duvidar da vida futura, o homem dirige todos os seus pensamentos para a vida terrestre. Incerto quanto ao futuro, dá tudo ao presente. Não entrevendo bens mais preciosos que os da Terra, porta-se qual criança que nada mais vê além de seus brinquedos e tudo faz para os obter. A perda do menor deles causa-lhe pungente mágoa; um engano, uma decepção, uma ambição insatisfeita, uma injustiça de que seja vítima, o orgulho ou a vaidade feridos são outros tantos tormentos que transformam sua existência numa angústia perpétua, infligindo-se a si próprio verdadeira tortura de todos os instantes. Sob o ponto de vista da vida terrena, em cujo centro se coloca, tudo assume ao seu redor vastas proporções. O mal que o atinja, como o bem que toque aos outros, adquire aos seus olhos grande importância. Dá-se o mesmo com aquele que se encontra no interior de uma cidade: tudo lhe parece grande, tanto os homens que ocupam altas posições, como os monumentos. Contudo, se ele subir uma montanha, homens e coisas lhe parecerão bem pequenos. 

É o que acontece ao que encara a vida terrestre do ponto de vista da vida futura: a Humanidade, assim como as estrelas do firmamento, perde-se na imensidade. Percebe então que grandes e pequenos estão confundidos como formigas sobre um montículo de terra; que proletários e potentados são da mesma estrutura, e lamenta que essas criaturas efêmeras que tanto se fatigam para conquistar um lugar que as elevará tão pouco e que por tão pouco tempo conservarão. A importância, pois, dada aos bens terrenos está sempre em razão inversa da fé que se tenha no futuro."

Allan Kardeck, O Evangelho segundo o Espiritismo , Editora FEB, Brasília, 2018, p. 47/48.
Imagem: Pinterest. 




quinta-feira, 6 de junho de 2024

O INIMIGO DA PAZ

"Chega de tantos megatons!

Parem de construir ogivas!

O planeta vai explodir e levar também vocês...

O inimigo da Paz e seu também não está lá do outro lado...

Está aí. Dentro de vocês. Dentro de cada pretenso dono dos outros.

Que domínio vocês poderão conquistar se os do outro lado vão todos morrer?!

Que hegemonia podem pretender se também vocês serão desintegrados megatonicamente?! ...

Se vocês desejam hegemonia, domínio, controle... então, ainda hoje, comecem a conquista de vocês mesmos; tratem de dominar - em paz, não esqueçam - o que em vocês é irretidão, tibieza, estupidez, ignorância, rancor, medo, ansiedade, arrogância, fragilidade, inquietude, desespero, vício, hipocrisia e desejo de afirmação, apego, rancor, ressentimento.

Depois disto, vocês e os do outro lado terão um problema muito grande a resolver - jogar fora tantos megatons, germes, gases, tantos engenhos apocalípticos que andaram juntando.

Jogar fora???!!!

Onde é fora deste infeliz planeta que vocês estupidamente desarrumaram???!!!"

Hermógenes, Mergulho na paz. Ed. Nova Era, Rio de Janeiro, 2005, p. 43.
Imagem: Pinterest.

 

terça-feira, 4 de junho de 2024

DEUS É AMOR

"Depois de conversar com amigas, pensei e escrevi:

Se Deus é amor, como acessar o amor divino? Amando. Se Deus é amor, nós somos amor, no mais profundo no nosso ser. Porém, na superfície somos também egoísmo. E essa é a nossa luta, o conflito entre essas duas partes que nos compõem. Só que, com o tempo, o egoísmo irá diminuindo, até um dia se extinguir, quando formos bem evoluídos, e o amor ocupará todos os espaços.

Mas por que temos que passar por essas etapas? Para adquirirmos consciência de nossos poderes, desenvolvê-los e exercitá-los.

Somos deuses em potencial, como o bebê é um adulto em potencial, assim como a pequena semente já contém em si a árvore frondosa que ela será um dia. Mas, no mundo tridimensional, tudo precisa de tempo e espaço para crescimento. Com isso aprendemos a desenvolver a paciência e a perseverança. E, principalmente, a esperança.

O pássaro preso canta quando ouve o barulho da torneira aberta. Ele se recorda das águas que correm livres pelos rios e cachoeiras das florestas onde ele viveu um dia, seu paraíso. 

Nós também sentimos algo especial ao participarmos de um puro ritual religioso ou quando estamos em contato com a natureza sagrada. Eles nos lembram de nossa origem divina e de que todos, em essência, somos um só. O intelecto pode não entender de imediato essa beleza, mas o coração tem certeza! 

Meditemos nessa frase: somos amorosos e dignos de amor.

Vamos!"

Fernando Mansur, Escrita Divina, Edição do Autor, p.63.
Imagem: Pinterest.




 

quinta-feira, 30 de maio de 2024

O MAGNETISMO DIVINO

"O magnetismo divino é o poder de todos os poderes. Quando a prece flui do nosso coração e Deus quebra seu voto de silêncio para falar conosco, absorvemos magnetismo divino. Devemos empregar nosso tempo para desenvolver o magnetismo espiritual e atrair o Imperecível. Consolide o poder de atrair as coisas maiores e atrairá com facilidade as coisas menores. 

Convém que nos desprendamos da morada física, o corpo. Cada ser humano é uma fagulha do Infinito. Façamos uma distinção entre o perecível e o imperecível. Tudo quanto é do corpo perece; tudo quanto é da mente perece em parte; e tudo quanto é da alma não perece nunca. 

Permaneça em harmonia com o Divino Poder Magnético. Pense em Deus com tanta frequência que ele esteja ao seu lado aonde quer que vá. Então, todos os seus desejos bons, mesmo vindos de um passado distante, se materializarão."

Paramhansa Yogananda, Como Alcançar o Sucesso, Editora Pensamento, São Paulo, 2011, p. 66/67.
Imagem: Pinterest.

 

terça-feira, 28 de maio de 2024

SEGUE À FRENTE, TRABALHANDO E SERVINDO

"Unge-te de coragem e fé em Deus e em ti mesmo, porque ninguém pode caminhar com os teus pés.

Não temas.

Ninguém é capaz de interromper o progresso, tanto quanto ninguém consegue impedir que as trevas da noite se transformem nas luzes do alvorecer.

Age e constrói, abençoa e auxilia sempre para o bem, mas não te esqueças de que se não consegues estabelecer a harmonia e a segurança no íntimo dos outros, podes claramente guardar a calma e a fé no próprio coração.

Observa que não existem provações sem causa e, em razão disso, seja onde for, estejamos preparados para facear os resultados de nossas próprias ações do presente ou do passado, em nos referindo às existências anteriores.

Cientes de que não existem problemas sem solução, por mais pesada a carga de sofrimento em que te vejas, segue à frente, trabalhando e servindo, lançando um olhar para a retaguarda de modo a verificar quantas criaturas existem carregando fardos de tribulações muito maiores e mais constrangedores do que os nossos."

Texto de Emmanuel, extraído do livro Escadas de Luz, de Francisco Cândido Xavier e Espíritos Diversos, Editora Ceu, p. 8/9.
Imagem: Pinterest.  




quinta-feira, 23 de maio de 2024

ABSTEM-SE

"Abstém-se de fixar as deficiências do companheiro e procura destacar-lhe as qualidades nobres, nas quais se caracterizem de alguma forma.

Examina o bem, louva o bem e estende o bem quanto puderes.

A paz pode passar a residir hoje mesmo em nosso campo íntimo. Basta lhe ofereçamos o refúgio da compreensão e isso depende unicamente de nós.

Se te encontras na condição de peça na engrenagem de hoje, a que se acolhem tantas criaturas aflitas, não te entregues ao luxo do desânimo e, sim, trabalha servindo sempre. É preciso aprender a suportar os revezes do mundo, sem perder a própria segurança.

Haja o que houver, trabalha na edificação do bem e segue adiante.

Dor, na maioria das vezes, é o tributo que se paga ao aperfeiçoamento espiritual.

Dificuldade mede eficiência.

Ofensa avalia a compreensão.

A própria morte é nova forma de vida.

Resiste aos movimentos que tendam a desfibrar-te a coragem e mantém-te de pé na tarefa a que a vida te buscou.

Recorda que tudo se altera para o bem."

Texto extraído do livro "Caminho Iluminado", de Francisco Cândido Xavier, ditado pelo Espírito Emmanuel, p. 3.
Imagem: Pinterest.
 

terça-feira, 21 de maio de 2024

ANTE A LIÇÃO

'Considera o que te digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo.' – Paulo. (2a Epístola a Timóteo, 2:7.)

Ante a exposição da verdade, não te esquives à meditação sobre as luzes que recebes.

Quem fita o céu, de relance, sem contemplá-lo, não enxerga as estrelas; e quem ouve uma sinfonia, sem abrir-lhe a acústica da alma, não lhe percebe as notas divinas.

Debalde escutarás a palavra inspirada de pregadores ardentes, se não descerrares o coração para que o teu sentimento mergulhe na claridade bendita daquela.

Inúmeros seguidores do Evangelho se queixam da incapacidade de retenção dos ensinos da Boa Nova, afirmando-se ineptos à frente das novas revelações, e isto porque não dispensam maior trato à lição ouvida, demorando-se longo tempo na província da distração e da leviandade.

Quando a câmara permanece sombria, somos nós quem desata o ferrolho à janela para que o sol nos visite.

Dediquemos algum esforço à graça da lição e a lição nos responderá com as suas graças.

O apóstolo dos gentios é claro na observação.

'Considera o que te digo, porque, então, o Senhor te dará entendimento em tudo.'

Considerar significa examinar, atender, refletir e apreciar.
 
Estejamos, pois, convencidos de que, prestando atenção aos apontamentos do Código da Vida Eterna, o Senhor, em retribuição à nossa boa vontade, dar-nos-á entendimento em tudo."

Francisco Cândido Xavier, Fonte Viva, Ditado pelo Espírito Emmanuel, p. 10.
Imagem: Pinterest.


quinta-feira, 16 de maio de 2024

SELECIONE APENAS OS BONS HÁBITOS DAS VIDAS PASSADAS

"Os hábitos se diferenciam: os que são criados nesta vida e os que vêm de vidas passadas. A maioria dos hábitos atuais é consequência da influência de hábitos de vidas anteriores. Nesta encarnação, eu alimentei apenas os bons hábitos. Por meio de constante observação e correção, desde a mais tenra infância, consegui me descartar dos maus hábitos do passado, e fiquei livre. 

Através do uso correto da memória, podemos reproduzir as experiências de vidas passadas que são benéficas para aumentar o conhecimento nesta vida. Ao recordar os bons e maus efeitos de experiências passadas, aprimoramos o discernimento e nos livramos dos hábitos que nos causam dor e sofrimento nesta vida. Todos deveriam fazer isso. 

Lado a lado, na memória do ser humano, ficam os bons e os maus hábitos por ele criados. Estão todos presentes no cérebro, quer ele recorde, quer não. Cada vez que você faz o bem, a lembrança disto é gravada no cérebro. E sempre que você fere alguém, isto também é acrescentado ao seu fichário mental. Tudo o que você tiver feito conscientemente, bom ou mau, será 'lembrado'. As ações do presente são inconscientemente influenciadas pelas ações do passado. Quando uma pessoa bondosa, com bons hábitos passados, faz uma boa ação, a influência da bondade do passado faz com que isso imediatamente se torne um hábito positivo. Da mesma forma, quando uma pessoa má comete uma má ação, o reforço da influência dos maus hábitos passados faz com que o ato imediatamente se torne um hábito negativo. Tome a decisão de se livrar das tendências negativas trazidas do passado, bem como das que foram criadas nesta vida. Tente se lembrar apenas das boas ações que fez. Até mesmo um pouco de bondade, independentemente da encarnação em que aconteceu, nunca se perde. Use as boas lembranças para influenciar suas ações do presente. E não se esqueça de recordar a todos que eles também são potencialmente bons."

Paramahansa Yogananda, O Romance com Deus, Self-Realization Fellowship, p. 156/157.
Imagem: Pinterest. 

terça-feira, 14 de maio de 2024

DESTINO: VOCÊ ACREDITA?

"Uns acham que não existe, pois temos o livre arbítrio; outros afirmam que tudo já está escrito. Existiria um caminho do meio?

Pensei em refletirmos sobre nossa vida futura a partir de nossos atos de hoje. Por exemplo: vamos imaginar que tudo que fazemos, pensamos e sentimos tece uma espécie de teia, com faz a aranha. No final de cada dia, um pedaço dessa teia estaria formada. E nós caminharíamos por ela. No fim de uma semana, nossas ações já teriam criado uma teia maior, e assim sucessivamente. Após meses e anos, qual seria o resultado de nossa criação física, emocional e mental? Uma grande teia estaria tecida e nós teríamos que circular por ela, junto com quem nos relacionamos, que são também tecelões. 

No ir e vir por essa teia, com o passar do tempo reencontraríamos amigos e desafetos, boas lembranças e recordações amargas, alegrias e dores, amores e rancores, caminhos abertos ou barreiras. Enfim, a nossa vida seria o resultado do que aprontamos. 

Se for válido pensar assim sobre, podemos inferir que hoje somos o resultado do que geramos num passado qualquer, próximo ou distante.

Provavelmente já batemos e apanhamos, já acariciamos e fomos acariciados nesse nosso longo percurso evolutivo. E para haver justiça, nos ensinam que tudo fica gravado nos registro indeléveis da Natureza, esperando que o reequilíbrio se faça. Como? Através da compreensão e da reconciliação. Não foi por acaso que nascemos na mesma família: A GRANDE FAMÍLIA HUMANA. Quem vai dar o primeiro passo?

Li e repasso: 'O primeiro a pedir desculpas é o mais corajoso. O primeiro a perdoar é o mais forte. E o primeiro a esquecer é o mais feliz!'

Vamos!"

Fernando Mansur, Escrita Divina, Edição do Autor, 2017, p. 52.
Imagem: Pinterest. 


 

quinta-feira, 9 de maio de 2024

ESPÍRITO E MATÉRIA

"O espiritual está acima e dentro do material. Um não existe sem o outro. O Espírito é uno. A matéria é usada para moldar as inumeráveis formas do nosso mundo. O espírito precisa da matéria para se expressar.

O mundo físico é o mais denso de todos os sete planos de manifestação. Por isso há dificuldade de o espírito se manifestar com plenitude. A não ser que sejamos clarividentes, não teremos condições de enxergar os níveis mais etéreos que nos envolvem. Estes, porém, são muito mais ricos e diversificados do que podemos imaginar. Aqueles que podem ver além dos sentidos nos asseguram isso. A literatura mundial dos povos confirma esta assertiva. Muitos acreditam, outros tantos duvidam, alguns pouco têm certeza. 

Como perceber a influência espiritual em nossa vida? Como entender que o invisível rege o visível?

Há vários graus de sensibilidade. Existem indivíduos que desde cedo se comunicam com esferas que fogem do alcance comum. Se a família é esclarecida, dará crédito a essa criança e a apoiará, buscando orientação adequada. Não é fácil. Não é simples.

Vivemos cercados de desconhecimento e a ignorância faz sofrer. 

Como nos conectarmos com o mais sutil em nós? Algumas recomendações de sábios sugerem um pouco de silêncio, meditação, leitura, conversas, palestras, contato com a natureza... Cada um tem seu próprio caminho, e o que é bom para um pode não ser bom para o outro.

Mas resposta existem, se quisermos buscar, se já estamos cansados e queremos mudar.

Vamos!" 

Fernando Mansur, O Catador de Histórias, Ed. Teosófica, Brasília, 2018, p. 62.
Imagem: Pinterest. 
  

terça-feira, 7 de maio de 2024

A CONSCIÊNCIA TEM MAGIA

"Precisamos de uma ruptura para administrar a energia do corpo. Se a energia distorcida é a raiz de todos os problemas, de que forma ela poderá ser reconduzida a seu estado normal, o estado saudável? Ninguém nos ensinou como mover energia. Fomos postos a atuar no plano físico, o que além de bastante incipiente geralmente escapa ao assunto. Artigos em revistas médicas, por exemplo, reduzem o amor a uma reação química no cérebro. Em uma imagem de ressonância magnética, a atividade neural de alguém que se encontra apaixonado certamente será diferente da de outro que não esteja apaixonado - áreas específicas são ativadas e ocorrem alterações nos níveis de algumas substâncias importantes como a serotonina e a dopamina, associadas aos sentimentos de felicidade e bem-estar.

Ainda assim é inteiramente falso afirmar que o cérebro cria amor. Imagine que você está dentro de um carro tarde da noite. A seu lado se encontra alguém que você ama secretamente, porém sempre escondeu, incapaz de expressar o que sentia em seu coração. Ela (ou ele) se debruça e sussurra algo em seu ouvido. Dependendo das palavras ('Eu te amo' ou 'Eu não amo você') que forem ditas, sua reação será inteiramente diversa. Uma imagem de ressonância magnética detectaria um estado completamente alterado do cérebro ante uma mensagem de alegria e outra de rejeição. É óbvio, portanto, que o cérebro não criou esses estados por conta própria. As palavras o fizeram. Como? Elas o tornaram consciente de algo que você queria desesperadamente saber.

Em outras palavras, você se tornou consciente de ser amado ou não. O principal não é o fato de que as palavras, ao serem pronunciadas no ouvido de alguém, fazem vibrar moléculas de ar, que por sua vez estimulam o tímpano, enviando um sinal para o ouvido interno e depois para a região auditiva do córtex. Essa sequência de acontecimentos ocorreria mesmo que as palavras fossem ditas em língua estrangeira. Porém, a menos que você conheça o idioma, sua consciência não mudará. A consciência está onde o significado aparece. Se você quer mudar seu corpo, uma mudança de consciência deverá vir primeiro. 

A consciência age como uma força invisível, a mais poderosa de todas em seu corpo. Ela move energia enquanto parece não estar fazendo nada. Aqui encontramos a ruptura que precisamos porque a consciência pode transformar a energia distorcida em energia saudável espontaneamente. Essa é a sua magia única."

Deepak Chopra, Reinventando o Corpo, reanimando a Alma, Ed. Rocco, R. Janeiro, 2010, p. 66/67. 
Imagem: Pinterest.


quinta-feira, 2 de maio de 2024

NA TRANQUILIDADE, A INTUIÇÃO FAZ NASCER A FÉ

"O termo sânscrito para é maravilhosamente expressivo. è visvas. A interpretação literal que habitualmente se dá - 'respirar facilmente; confiar; estar livre de medo' - não transmite a plenitude do significado. A palavra sânscrita svas refere-se aos movimentos da respiração, implicando nessa imagem vida e sentimento. A palavra vi transmite o significado de 'oposto; desprovido'. Quer dizer, aquele cuja respiração, vida e sentimento estão tranquilos por ter a fé que nasce da intuição; pessoas emocionalmente inquietas não a podem ter. O cultivo da tranquilidade intuitiva exige o desenvolvimento da vida interior. Ao ser suficientemente desenvolvida, a intuição produz a compreensão imediata da verdade. Você pode ter essa percepção maravilhosa. O caminho é a meditação.

Medite com paciência e persistência. Na tranquilidade que se acumula, você entrará nos domínios da intuição da alma. Ao longo das eras, os seres que alcançaram a iluminação foram os que recorreram a esse mundo interior da comunhão com Deus. Jesus disse: 'Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em oculto; e teu Pai, que vê secretamente, te recompensará.'² Interiorize-se no Eu, fechando a porta dos sentidos e do envolvimento deles no mundo inquieto, e Deus lhe revelará todas as Suas maravilhas.

Na comunhão interior da alma com Deus, a intuição começa a se desenvolver naturalmente. De início é necessária uma certa confiança provisória. Saiba que Deus está com você e que você é Seu filho, feito à Sua imagem. Entregue-se a Ele por amor. Gradualmente essa convicção se transformará em fé através da intuição. Fora do alcance dos sentidos e do intelecto, a intuição se manifesta na consciência tranquila como sentimento, percebido principalmente no coração. Quando esse sentimento está presente na meditação, você tem uma convicção inabalável, um nítido senso de estar na direção correta. Cada vez mais, você será capaz de reconhecer e seguir essa intuição. Isso não significa abrir mão da razão. Um raciocínio calmo e imparcial também pode levar à intuição. Use o bom senso. Mas lembre-se que o raciocínio arrogante ou emocional leva a erros e interpretações erradas.

Na dúvida e na crença, rejeite o elemento destrutivo e aplique o elemento construtivo. Avance para o reino da fé. Este é o caminho do desenvolvimento. Na tranquilidade da meditação, a consciência consegue se concentrar na verdade e apreendê-la. Neste estado a fé se desenvolve; pelo desenvolvimento da intuição você recebe a 'prova das coisas que não se veem'."

² Mateus 6:6.

Paramahansa Yogananda, Self-Realization Fellowship, p. 312/313.
Imagem: Pinterest.     

terça-feira, 30 de abril de 2024

A FÉ - PERCEPÇÃO DIRETA DA VERDADE - É SEMPRE SEGURA

"Além de produzir resultados na cura e em outras coisas, a fé também é o poder que revela o funcionamento das leis espirituais subjacentes a todos os assim chamados milagres.

'A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem.'¹ 'Impossibilidades' esperadas se realizam pelo poder desse tipo de fé - que acredita sem ver, que acredita apesar de todas as evidências em contrário.

A fé é a própria realização. Diferentemente da crença, ela não abriga nenhum elemento destrutivo. A crença pode ser abalada ou destruída por dúvidas e evidências em contrário; mas a fé é sempre segura, pois é a percepção direta da verdade. Houve tempo em que se acreditava que o mundo fosse plano, mas com o progresso da ciência descobriu-se que era redondo, de modo que era apenas uma crença que teve de ser abandonada. Mas a fé não pode sofrer contradição, pois é a expressão desenvolvida da infalível intuição interior, que nos coloca diante da realidade até então invisíveis. Então podemos falar acertadamente de crença cega, mas não de fé cega. 

A realização da verdade da alma se expressa a nós pela intuição, e o saber daí resultante é a fé. A intuição é o ponto em que uma convicção se transforma em percepção direta da verdade dessa crença. Não é preciso intermediários, nenhuma prova a partir do testemunho dos sentidos ou da razão. 

Por exemplo: como você sabe que existe? Sabe porque sabe. Não existe dúvida. Nada no mundo o fará achar que não existe. Mesmo que estivesse paralisado e não pudesse se ver, ainda assim você sentiria ou vivenciaria sua existência através da percepção da alma.

A fé é o beabá da intuição. É o profundo sentimento de saber instalado no seu íntimo. A maioria das pessoas já teve algum tipo de pressentimento que se realizou. É a manifestação da intuição ainda sem controle, em desenvolvimento. A inteligência direcionada ao mundo externo interpreta os fenômenos; a fé direcionada ao interior interpreta, pelo contato com o númeno, as intuições da alma. Tudo pode ser trazido à luz pelo poder da fé." ... continua.

¹  Hebreus 11:1.

Paramahansa Yogananda, Jornada para a Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 310/311.
Imagem: Pinterest. 

terça-feira, 23 de abril de 2024

A GÊNESE DA FÉ

"O que se precisa é de uma crença investigativa com sinceridade e reverência, seguida da persistência em crenças verdadeiras, ou pelo menos naquelas que constantemente manifestem resultados convincentes. Através da fenda da paciência, gota a gota, a substância química da verdade entra e cristaliza tal crença em sólida fé. Mas se a crença não for fundamentada na verdade, ela não sustentará a convicção que produz o progresso ruma a fé.

A fé pode se manifestar em muitas áreas da crença se houver verdade inerente nas convicções sinceras da pessoa:
  • Crença firme ou confiança (numa pessoa, coisa, doutrina ou ideia), tal como fé em Deus, fé na medicina.
  • Reconhecimento da supremacia das realidades espirituais e dos princípios morais. 
  • Fé histórica, como fé na verdade e na autoridade das narrativas e dos ensinamentos das escrituras. Ou fé prática - por aceitação intelectual, afeição e vontade - nas dádivas que Deus concede ao ser humano através de emissários divinos.
  • O conjunto daquilo em que se acredita: um sistema de crenças religiosas, como a fé cristã ou a autoridade védica.
O resultado da fé é o estado ou a qualidade estável da fé plena, fidelidade, lealdade."... continua. 

Paramahansa Yogananda, Jornada Para A Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 308/309.   
Imagem: Pinterest. 
 

terça-feira, 16 de abril de 2024

CRENÇAS INSENSATAS PARECEM UM DESPERDÍCIO DE BOA ENERGIA

"Acreditar em pessoas enganadoras, negócios fracassados ou doutrinas falsas parece ser um completo desperdício de boa energia do homem por mau direcionamento. Tais crenças insensatas pouco conseguem além de experiências amargas. Um amigo hipócrita pode fazer com que nele acreditemos por longo tempo, um negócio em vias de falência pode permanecer em nossa mente como digno de apoio. Mas cedo ou tarde certamente deixaremos de acreditar, pois os fatos serão revelados. Portanto, nas coisas materiais as crenças errôneas tendem a ser menos prejudiciais, já que a mente é atraída por resultados tangíveis.

Em contraste, nos assuntos espirituais a atitude mental muitas vezes é vaga e visionária. Instrutores ou doutrinas nos exortam a acreditar e ter fé, mas oferecem pouquíssimas explicações ou entendimento sobre a natureza dessa virtude e como obtê-la. Aceitação cega é a regra geral e o único recurso para a maioria dos seguidores. Então, crença e fé ligadas a vida religiosa são as menos compreendidas. A força dinâmica que eles têm, para a maioria dos fanáticos religiosos, permanece um tanto quanto nebulosa, indefinível, para além da cultura - algo que só possuem uns poucos dotados a quem Deus concedeu Sua graça. Para os muitos outros a crença nos assuntos espirituais é empregada cegamente, porque as coisas do Espírito são consideradas místicas e além do alcance humano.  

Uma crença errônea, se não for examinada com atenção, acabará em tenaz dogmatismo. Uma crença cuja falsidade é provada se transforma de dogma em descrença. Por outro lado, se a pessoa acredita numa doutrina verdadeira e a segue com persistência, a crença gradualmente se cristaliza em convicção e fé. Assim, vemos que uma crença, falsa ou verdadeira, é provisória. Ela só pode ser temporária, pois é subsequentemente metamorfoseada em dogmatismo ou descrença, ou em fé. 

A crença rudimentar ou imatura não assegurada na verdade é de três tipos: (a) cega; (b) firme e forte; (c) despertada pela curiosidade.
(a) A crença nascida da emoção ou do sentimento começa com uma 'fé' exacerbada, do tipo 'eu te seguirei até a morte'. Mas termina em acusações violentas quando testada por críticas ou contradições.
(b) Os seguidores do segundo grupo acrescentam tenacidade à crença cega. Vivem e morrem com as mesmas convicções emocionais, mesmo quando totalmente erradas. Isso é pouco mais que um estado de existência selvagem, que é controlado pela superstição.
(c) As pessoas estão um pouco mais seguras nas crenças que começam e terminam em curiosidade. Quando descobrem que a curiosidade as fez seguir um caminho errado, logo desistem de segui-lo e ficam muita contentes por empreender nova busca.

Além dessas três está a crença investigativa, que é baseada na aceitação lógica. Ela mantém olhos e ouvidos sempre abertos, sempre prontos a indagar sobre algo que tenha sido atraído por persuasão ou interesse. Esta forma de crença, contudo, pode facilmente cair no hábito da volubilidade e caprichosamente desistir não só do que é errôneo, mas também do que é verdade."  

Paramahansa Yogananda, Jornada para a Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 307/308.
Imagem: Pinterest.


quinta-feira, 11 de abril de 2024

OS FUNDAMENTOS DA CRENÇA

"A crença é o estado ou hábito mental em que se coloca crédito, confiança, numa pessoa, coisa ou doutrina; tais como as verdades da religião, por exemplo. A crença é a convicção ou sentimento da verdade ou realidade daquilo em que se acredita. 

Os elementos da crença são assentimento, crédito, certeza, confiabilidade, persuasão, convicção, fé. 

Crença, fé, persuasão e convicção estão presentes sozinhas ou combinadas na ideia de assentimento. A crença e a fé diferem principalmente no fato de que a crença, via de regra, sugere pouco mais do que o assentimento intelectual, enquanto a fé indica confiança total - como numa pessoa cuja persuasão ou crença já tenha amadurecido em fé plena.

Uma persuasão é uma opinião confiante, uma ideia da qual a pessoa se convenceu, como: 'Estou persuadido de que fulano é desonesto'. Isto indica que essa certeza é induzida pelos sentimentos ou desejos da pessoa, e não por argumento ou evidência. 

A convicção significa uma crença fixa e estabelecida, como em: 'A persuasão dele transformou-se em sentimento de certeza'.

O crédito confere substância à crença; algo precisa ser considerado crível para ser tido como verdadeiro.

A crença também, depende da confiabilidade, que é confiar no que se acredita a partir de evidências que o sustentem. 

Implícitos na crença estão os elementos da imaginação e da vontade. Sem vontade não se pode acreditar. E já que a crença é a espera incerta da esperança de se obter um resultado, ela também envolve a imaginação. João imagina que terá êxito no comércio de juta. Portanto, diz-se que ele acredita em seus negócios. Os elementos de imaginação e vontade na crença a tornam uma força poderosa para o bem ou para o mal."

Paramahansa Yogananda, Jornada para a Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 306/307.
Imagem: Pinterest.


  

terça-feira, 9 de abril de 2024

A FÉ COMEÇA COM A CRENÇA CONSTRUTIVA

"Crença é fé são frequentemente utilizados como sinônimos e por isso seu uso nem sempre é correto. A fé é algo muito maior do que a mera crença, como será mostrado. Tanto na crença quanto na dúvida existe um elemento destrutivo. Quando aplicada construtivamente, a adesão às crenças válidas leva à realização. As verdades numerais não podem ser entendidas pela mente sensorial. Os fenômenos podem ser interpretados pelo intelecto a partir da experiência sensorial, mas não a substância, ou número, subjacente a eles; isto requer iluminação interior. Sendo assim, o instrutor com realização espiritual diz ao discípulo ainda não desenvolvido: 'Até que você seja capaz de entender, acredite em mim e me siga'. Isso não significa aceitar tudo cegamente. A crença construtiva inclui a razão. Sentimento e razão confirmam que existe certa verdade por trás de toda crença válida. Se a pessoa conseguir ganhar acesso à inteligência discernidora que é inerente a ela própria, pode chegar a essa verdade - à compreensão interna da verdade que se atinge apenas por meio do desenvolvimento espiritual dos poderes de percepção intuitiva da alma. Até então, pode haver contradição entre o raciocínio do devoto e a realização do mestre. Por isto os verdadeiros mestres precisam pedir aos discípulos que acreditem e aceitem determinados conceitos com base na sua autoridade, sabendo que com o tempo os discípulos poderão ter a realização dessas verdades por si mesmos. Tal é o princípio de qualquer investigação. 

Se um professor de matemática lhe explicar Cálculo, mas você fechar a mente e disser que não acredita, porque naquele momento não compreende, então ele não pode ensiná-lo. Primeiro você tem que pegar lápis e papel e seguir as instruções do professor. Só se você não obtiver os resultados prometidos é que pode duvidar. Mas cuidado antes de julgar; tenha certeza de que não cometeu nenhum erro na solução do problema. Como se pode ver, é preciso começar acreditando." ... (continua). 

Paramahansa Yogananda, Jornada Para a Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 305/306.
Imagem: Pinterest.

quinta-feira, 4 de abril de 2024

A DÚVIDA CONSTRUTIVA NOS MOVE EM DIREÇÃO À VERDADE

"A dúvida é uma energia dinâmica que deve ser adequadamente canalizada para nos levar a ações progressivas. Se com a dúvida construtiva destruirmos algumas de nossas mais estimadas teorias, até isso é melhor do que seguir os outros de modo cego e estúpido - 'o cego guiando cego'. A dúvida construtiva sobre assuntos divinos nos conduz à verdade muito mais rapidamente do que a crença dogmática. Esta última faz com que nos falte a clareza mental necessária para perceber corretamente a verdade que já nos foi dada por Deus. O dogmatismo confunde nossa habilidade de analisar com profundidade as verdades pregadas pelos grandes seres como Jesus no Novo Testamento e o Senhor Krishna no Bhagavad Gita. Como uma ciência, a religião deve ser testada de modo adequado. Foi assim que os rishis das eras antigas, que conheciam Deus, alcançaram a realização: investigaram, descobriram e provaram para si mesmos os invariáveis princípios que demosntram e manifestam a Realidade Eterna. 

Os grandes mestres pedem que acreditemos, mas não dizem que não devemos usar a dúvida construtiva para questionar. Suponhamos que ocorra um erro de impressão em uma escritura. Por exemplo: em vez de 'não roubarás', a palavra não é omitida e lemos 'roubarás'. Aceitar isso cegamente é o mesmo que aceitar outros erros ardilosos - o engano na hora de redigir, o erro de impressão. 

Aplique o teste da razão. Se puder analisar ideias com respeito e discernimento, livre de preconceitos, você apreenderá a verdade muito mais rapidamente e conseguirá discernir o que é falso. Deus lhe concedeu o poder de compreender: você só precisa usar o instrumento da inteligência de acordo com as leis por Ele estabelecidas. Trate a religião com o mesmo espírito que aplica à ciência. Sem dúvidas e investigações, muitos não alcançam a verdade. O questionamento razoável destrói os frágeis alicerces do fanatismo dogmático e ajudam a construir em seu lugar uma sólida fundação de crenças, capaz de sustentar a superestrutura da fé."... (continua).

Paramahansa Yogananda, Jornada Para A Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p.  304/305.
Imagem: Pinterest.

terça-feira, 2 de abril de 2024

SE O SER HUMANO NÃO DUVIDASSE, NÃO PROGREDIRIA

"A predominância da matéria perante nossos olhos, na forma de objetos e seres, impede que percebamos completamente a verdade. Mas é quando duvidamos da primazia da matéria que a existência de Deus se estabelece. Se a matéria, que é um conglomerado de átomos, é tudo o que existe, então como essas partículas invisíveis formaram um parlamento que criou e governa um universo organizado? É impossível que átomos inanimados viessem a se reunir para produzir seres inteligentes. Então a aceitação de Deus, uma Consciência Inteligente como criadora do mundo, foi estabelecida a partir do materialismo aplicando-se o elemento construtivo e progressivo da dúvida. Este elemento construtivo é a corrente científica do pensamento usada no questionamento para descobrir a verdade. Sem isso, se meramente aceitássemos as coisas como parecem ser, os seres humanos seriam como animais. Algumas civilizações antigas acreditavam que o Sol, a Lua e as estrelas eram divindades que governavam a vida. Pelo processo da dúvida o ser humano ultrapassou esse conceito. Por meio do questionamento construtivo, esse tipo de crença foi considerado falho. Se o ser humano não pudesse duvidar, não poderia progredir; o mundo estaria atolado na ignorância. Se não questionassemos, não conseguiríamos diferenciar da verdade a teoria ou os argumentos falaciosos. É pois correto aplicar as leis da razão. 

A dúvida decide uma hipótese. Os cientistas pegam um teorema e o investigam juntamente com a Sra. Dúvida, a examinadora sempre presente. Nada é tido como certo. A proposta é levada a uma conclusão, para ver se funciona ou não. Se não funcionar, é posta de lado ou reestruturada. Se os cientistas ficassem satisfeitos com o status quo do conhecimento, não haveria adiantamento na civilização. Há uma grande lição aqui.

No que diz respeito à religião, os cientistas deveriam empregar, no elemento construtivo da dúvida, a mesma abertura como que realizam as pesquisas científicas. Por um tempo longo demais a ciência se fechou no elemento destrutivo da dúvida, desprezando a religião como dogma supersticioso. Se o objetivo dos operários da construção civil fosse apenas demolir todos os prédios defeituosos, e não reconstruí-los nem substituí-los com estrutura aperfeiçoada, seria um desastre. O mesmo ocorre com os que querem dispensar a moralidade e a religião, não deixando nenhuma estrutura para abrigar os princípios divinos que podem se provar essenciais ao bem-estar e à felicidade da existência humana. É claro que até o elemento destrutivo da dúvida pode ser necessário para nos livrar de erros há muito sustentados; mas o processo será prejudicial para a humanidade se também obliterar a verdade."... (continua)

Paramahansa Yogananda, Jornada para a Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 303/304.
Imagem: Perintest.

quinta-feira, 28 de março de 2024

DÚVIDA, CRENÇA E FÉ

"Na criação do Senhor, tudo tem uma utilidade específica. Toda matéria, por mais insignificante que seja, tem determinado propósito e efeito. Isto também se aplica a pensamentos ou sentimentos que se apresentam à nossa consciência e depois passam. Pouco sabemos sobre o efeito que essas noções produzem ou a utilidade de terem sido criadas em nós. Quando você pensa num pedaço de cobre, conhece a utilidade dele. Mas se você considerar um único pensamento, para que ele serve? Analise essa questão. Assim como o mundo é composto de átomos e moléculas, também o ser interior, a natureza ou caráter de uma pessoa, compõem-se de 'átomos e moléculas' de pensamentos. Se você deseja compreender a qualidade de sua luz interior, rastreie o crescimento de cada pensamento seu e pese sua utilidade relativa na balança do seu julgamento. 

Hoje vamos colocar na balança os sentimentos de dúvida, crença e fé, que são o ponto crucial de controvérsia em termos de religião. Grandes instrutores exortam as pessoas a crer e ter fé em Deus e nas escrituras; e nos alertam contra o potencial devastador da dúvida. Mas sem discernimento a utilidade desse conselho talvez não seja entendida.

Uma vez que nada foi criado sem ter alguma utilidade, não posso concordar com os moralistas das escrituras que à simples menção de dúvida levantam o nariz num ângulo de 120 graus. Em vez disso, analisemos por que o espírito da dúvida foi introduzido no mundo. Em que pondo a dúvida é ruim - ou boa! - para os seres humanos? A não ser que analisemos a psicologia da dúvida, da crença e da fé, não podemos adotar nem rejeitar sensatamente tais sentimentos como benéficos ou destrutivos.

Pela análise, encontramos no conceito de dúvida um elemento construtivo ou destrutivo segundo sua aplicação. Não preciso falar extensivamente do elemento destrutivo, pois seus efeitos adversos são do conhecimento comum. Em razão dos seus danos em potencial, alguns fanáticos, em especial os que se apegam ferrenhamente a crenças dogmáticas, advogam a rejeição de toda dúvida em favor de uma aceitação inquestionável. No entanto, evitar a dúvida é escolher não pensar. 

A dúvida destrutiva é paralisante. Inibe o pensamento construtivo e o poder da vontade. Bloqueia a receptividade ao trabalho benéfico das forças e leis mais elevados do universo e à graça divina, sempre pronta a ajudar. Produz inquietude interna e desesperança. Resiste ao progresso e rejeita ideias ao bel-prazer da ignorância, do preconceito ou da emoção. 

Consideremos agora o elemento construtivo da dúvida. (continua)"

Paramahansa Yogananda, Jornada para a Autorrealização, Self-Realizatiohn Fellowship, p. 302/303.
Imagem: Pinterest. 




 

terça-feira, 26 de março de 2024

CERTO E ERRADO

"A. B. - Se considerar honestamente, você descobrirá que a vida comum é uma série de compromissos. Os homens estão constantemente fazendo um pouco menos do que sabem que é o certo para responder àquela mais mortífera das perguntas: 'O que as pessoas irão dizer?' Num determinado caso, sabendo muito bem o que é o melhor a ser feito, eles o mudam um pouco, adulteram-no, e fazem aquém do necessário, para tornar o caminho mais suave para eles mesmos. Este medo das opiniões alheias deve-se em parte a uma fraqueza que é amável em suas raízes - o desejo de agradar. Este desejo é muito comujm na Índia, mas se você quer trilhar a senda oculta de maneira apropriada, jamais deve permitir-se ser envolvido por ela em compromissos onde estejam em causa princípios ou questões de importância, tais como as questões religiosas e sociais. 

Pondo de lado por enquanto as grandes questões das quais depende em grande parte o futuro de uma nação, voltemos às pequenas questões da vida diária. Aqui também não deve haver compromissos. Você devwe decidir-se quanto ao que é certo, e então manter-se firme. Sei que você não pode levar a cabo os seus mais elevados ideiais imediatamente, mais do que pode ir da base de uma montanha ao topo com um único passo. Mas se você quer escalar a montanha, cada passo deve ser dado com vistas a alcançar o topo, cada passo deve aproximá-lo do topo. Nunca rebaixe o seu ideal; isto é fatal. Como diz o Upanishad: 'Uma coisa é o certo, o agradável é outra; o sábio prefere o certo ao agradável'., 

Tente nas pequenas coisas fazer o que a sua consciência considera certo. Você não é responsável pelo que pensa a consciência de uma outra pessoa nem se ela segue sua própria consciência; mas é responsável por seguir a sua própria, qualquer que seja ao custo aparente. É custo apenas aparente, acredite; você nada tem a perder fazendo o que considera certo. Certamente, deve tomar cuidado para não identificar seus caprichos, preconcentos e fantasias com o que é certo; quanto a isso o Mestre faz aqui uma advertência, quando diz: 'Estuda profundamente as leis ocultas da Natureza'. Primeiramente descubra o que é certo, e então viva segundo seu conhecimento.

O Mestre acrescenta a importante sugestão nas últimas poucas palavras  deste trecho: 'Utilizando sempre a razão e o bom senso'. Leve sempre em consideração os sentimentos dos outros, e jamais permita que interfiram entre você o que você sabe ser certo. Se você tiver de escolherentre ferir os sentimentos de alguém e se comprometer com sua própria consciência, então escolha a primeira opção. O ocultista sempre irá descernir, ao lidar com as pessoas, entre a pessoa real e os preconceitos de seus vários corpos. Ele jamais irã ferir alguém, mas preferirá ferir seus preconceitos em vez de fazer o que é errado. Ainda assim, ele não ferirá seus preconceitos mesmo desnecessariamente; mas se tiver de fazê-lo, ele irá ao mesmo tempo saber que a pessoa está realmente sendo ajudada, e não ferida, e que ele mesmo está sendo usado como um instrumento para demolir uma limitação que está emperrando o homem interno. Mesmo neste caso, sua ação será levada a cabo de maneira gentil e atenciosa. Muitas pessoas acham isso difícil. É muito mais difícil fazer uma coisa com um motivo tranquilo; uma onda de emoção torna as coisas mais fázeis. A emoção, seja boa ou má, suspre um impulso que transporta o homem sem esforço ulterior de sua parte. Se quiser ser um ocultista, voce não deve agir por impulso, como fazem os homens comuns; deve desenvolver a razão, o poder de discernimento, e nesse esforço você começará inconscientemente a desabrochar buddhi."

Annie Besant e C.W. Leadbeater, A Senda do Ocultismo - Comentários aos Pés do Mestre, Ed. Teosófica, Brasília, 2022, p. 105/107.
Imagem: Pinterest.


quinta-feira, 21 de março de 2024

ANCESTRALIDADE

"De onde viemos? Quem nos gerou pela primeira vez? Qual a nossa linhagem espiritual? Desde quando cresce nossa árvore genealógica? Reverência - gratidão - perdão.

Nossos antepassados vivem através de nós, de algum modo. O que fazemos afeta todos eles, como também recebemos deles uma herança. Quando uma luz se acende, ela ilumina não só àquele que a acendeu, mas a todos que estão à volta. Um bem que fazemos a nós repercute em toda nossa ascendência e descendência. Nossas vidas formam um fio; o que um faz reverbera nos demais. A unidade é nossa força. Quando alguém rouba outro alguém, está roubando de si mesmo, no longo prazo. A vida é una. Que nos lembremos sempre disso. 

Nossos erros decorrem do fato de que vivemos numa ilusão e não sabemos. Não temos consciência. Somos ingênuos, fomos iludidos, a propaganda para o erro é grande e bem feita. A maioria de nós não luta mais para sobreviver, mas para sobressair, para aparecer, para competir. Somos induzidos. Exemplo: os colonizadores viciaram os índios com certas crenças e bebida alcoólica e grande parte se perdeu. Poucos conseguiram resistir e manter sua individualidade. Conosco é a mesma coisa. Preste atenção, busque ajuda, confie na luz interior e no profundo amor que habita em você.

Os alimentos estão perdendo seu valor nutritivo e suas substâncias vitais devido à excessiva industrialização. Estamos ficando estéreis e perdendo a conexão com o simples e essencial. A propaganda é implacável. E as crianças são as que mais sofrem. 

Como nos proteger? Recolhendo-nos por alguns minutos por dia, sintonizando-nos com a espiritualidade, aumentando nosso contato com a natureza, pisando no chão, pensando com o coração.

Podemos.

Vamos!"

Fernando Mansur, Escrita Divina, Edição do Autor, 2017, p. 167.
Imagem: Pinterest.      

terça-feira, 19 de março de 2024

SOFRIMENTO, DESEJO E AVIDEZ

"Se sentirmos aquela profunda preocupação com o sofrimento que existe no mundo, vamos querer saber a saída. A maioria de nós continua a levar uma vida comum e medíocre, porque não há nada que nos inquiete profundamente. Não sentimos a urgência de fazer acontecer uma mudança, Ver essa  necessidade é o primeiro passo. Quando a vemos, então nós vamos naturalmente tentar achar a resposta. 

O Senhor Buda deu Sua resposta de modo muito simples. Ele disse que a causa do sofrimento é o desejo, a avidez que existe de diversas formas em cada um de nós. Quando imaginamos que derrotamos em nós uma forma dessa avidez, ela ressurge de outra forma. 

Essa avidez não é apenas por objetos. Alguns podem não ter, digamos, avidez por dinheiro; talvez a pessoa não queira ser parte da alta sociedade, ou se cobrir de joias. Mas temos avidez por outras coisas como progresso espiritual. Nós temos ideias preconcebidas sobre relacionamentos com outras pessoas. Se eu imagino um relacionamento com você no qual você gosta bastante de mim, há em mim uma avidez pelo tipo de relacionamento que eu imaginei. Quando isso não acontece de forma que eu imaginei, eu me sinto infeliz. A avidez também assume a forma de dominação, agressividade, autopromoção de várias maneiras as quais, se formos objetivos, podemos enxergar em nós mesmos. Também há o desejo de fugir de alguma coisa, e o desejo de impor ideias sobre outras pessoas. 

O desejo ou avidez existe porque não temos um sentido dos verdadeiros valores; nós tomamos a coisas de pouco valor por aquelas que são mais valiosas, aquilo que é irreal por aquilo que é real. Então, ver as coisas na sua verdadeira natureza é extremamente importante. A vida espiritual consiste em saber o que é essencial e o que não é essencial. 

É óbvio que tudo aquilo que tem uma existência condicionada, e depende de outra coisa para existir, possui menos valor do que aquilo que é incondicionado. Vamos tomar como exemplo o tipo de felicidade que a maioria de nós desfruta. Nós podemos nos considerar razoavelmente felizes, mas nossa felicidade depende de condições externas e de outros indivíduos. Se nós nos comportamos de uma determinada maneira, seremos felizes. Se nos comportarmos de modo diferente, nos tornamos imediatamente infelizes. Se você me fizer de boba, por exemplo, isso me deixa infeliz. Minha felicidade depende de você aceitar uma imagem que eu criei de mim não sendo boba, mas ao contrário como sendo alguém bem especial. Se possuímos muitas coisas que nos dão uma sensação de segurança, nós somos felizes, de outro modo não. Todo tipo de felicidade como essa depende de uma determinada condição ou de outra pessoa obviamente não é verdadeira felicidade. Mas nós esmos o tempo todo tentando nos agarrar a essas coisas que são dependentes.(...)"

Radha Burnier, Não há Outro Caminho a Seguir, Ed. Teosófica, Brasília, 2016, p. 88/90.
Imagem: Pinterest. 




terça-feira, 12 de março de 2024

A CANÇÃO DA VIDA

"'Escute a canção da vida. Escute-a em seu próprio coração. Inicialmente você pode dizer: ela não está lá: quando eu busco, encontro apenas discórdia. Olhe mais profundamente. Pare... e olhe mais profundamente ainda. A própria vida nunca está silenciosa. E o que ela emite não é, como se pode supor, um grito - é uma canção'. (Do livro 'Luz no Caminho' - Mabel Collins)

Ouvir a canção da vida é ouvir o próprio coração. Cada um de nós é uma nota musical, que faz parte da grande sinfonia universal. Afinados com a vida!

O bater de asas de uma borboleta e o pulsar de uma estrela - tudo exerce alguma influência no mundo. Nós, eu e você, por exemplo, estamos nesse momento irradiando alguma vibração para o planeta. Vamos cuidar para que essa energia seja pacífica e benéfica para todos. 

Cada coisa, cada ser na Natureza nasce com uma função: ser aquilo que é. 

Uma árvore, por exemplo, nasce para ser árvore. Ela não quer ser outra coisa, Para que nascemos? Precisamos aprender. Vamos!

Por que faço canções? Faço canções porque eu não posso tocar em Deus. Mas minhas canções podem! (Do poeta indiano Rabrindranath Tagore)

Luz e alegria para todos os seres.

Com a benção profunda e doce do Menino Jesus!!!"

Fernando Mansur, Escrita Divina, Edição do Autor, 2017, p. 69.
Imagem: Pinterest. 



quinta-feira, 7 de março de 2024

O PODER POR TRÁS DE TODOS OS PODERES

"Em primeiro lugar e acima de tudo, tenha êxito com o Mestre do Universo. Você se envolve demais nos deveres materiais e afirma não ter tempo para Deus. Mas suponha que Deus diga que não tem tempo para bater em seu coração ou para pensar em seu cérebro. Onde estará você? Ele é o amor por trás de todos os amores, a Razão por trás de todos os raciocínios, a Vontade por trás de todas as vontades, o Sucesso por trás de todos os sucessos, o Poder por trás de todos os poderes; o sangue que lhe corre nas veias; o alento por trás das palavras que você pronuncia. Se Ele retirar o Seu poder, minha voz se calará e não falarei mais. Se o Seu poder não se expressar em nosso coração e cérebro, ficaremos emudecidos para sempre. Então, lembre-se: o dever mais importante na vida é o dever que você tem com Deus."

Paramahansa Yogananda, Jornada para a Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 280.
Imagem: Pinterest. 

terça-feira, 5 de março de 2024

A VIDA É MAIS DO QUE APENAS EXISTIR

"Deus não criou a Terra como um lugar só para comer, dormir e morrer, mas para descobrir o propósito Dele. Algumas pessoas sábias captaram o plano divino, mas muitas outras estão cegas e não enxergam. A Terra é uma câmara de torturas para os que vivem na ignorância do plano divino. Mas quando você usa as experiências da vida como seu instrutor e com elas aprende a verdadeira natureza do mundo e o seu papel nele, as experiências passam a ser guias valiosos para uma eternidade de felicidade e plenitude. 

O Senhor fez a ilusão muito forte! Vivemos num manicômio. Você acha que o dinheiro traz felicidade, mas quando o obtém descobre que ainda não é feliz. Você pode ter dinheiro e perder a saúde ou ter boa saúde e perder o dinheiro; ou pode ter saúde e dinheiro mas inúmeros problemas com as pessoas. Você faz o bem aos outros e eles retribuem com ódio. Sem Deus, nada o satisfará neste mundo. E é interessante que Deus tente nos afastar Dele com atrações materiais - Ele quer saber se queremos o Doador, e não só Suas dádivas. 

Se Deus nos quisesse só na consciência mundana, estaríamos sempre plenamente satisfeitos com os caminhos e objetos do mundo. Você já observou um rebanho de ovelhas? Uma ovelha pula à cerca e todas as outras vão atrás. A maioria das pessoas é assim. Alguém começa uma moda ou estabelece um padrão de ação e todos os outros vão atrás. Tem sido assim século após século. Cada país tem seus costumes e não se pode dizer que sejam perfeitos. Mas quem tem autoridade para ridicularizar determinado tipo de vida ou costume? Um modo de avaliar é lembrar que no início todos os costumes tinham uma razão de ser. Se vemos que a razão ainda se aplica, significa que o costume serve a um propósito útil; mas é tolice seguir alguma coisa cegamente, apenas por seguir. Temos que descobrir onde está a verdade e em que consiste a verdadeira felicidade, e seguir isso." 

Paramahansa Yogananda, Jornada para a Autorrealização, Self-Realization Fellowship, p. 272/273.
Imagem: Pinterest.
  

quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

EXPLOSÃO DE SENTIMENTOS

"Às vezes é melhor convivermos com o possível,
entendendo nossas limitações, sem querermos além do que nos podem oferecer. E sem nos esquecer de que o que damos nem sempre é o bastante ou entendido como o melhor que podemos ofertar naquele instante. 

Sofremos pressões de vários lados e podemos de vez em quando estourar. É um aprendizado de humildade, de aceitação, de gratidão.

Às vezes falamos coisas que não gostaríamos de dizer, porque deixamos acumular sentimentos que não conseguimos expressar naturalmente, achando que eram 'feios'. 

Não devemos esconder quem somos, mas agir com ética e dignidade. Acolher nossas limitações, olhar para elas com amorosidade. 

Já passamos por tantas coisas! Há tantos resquícios ainda não identificados em nós. Sonhamos com tantas melhorias. Mas há tanto por fazer e viver com nossas parcerias!

Vamos continuar tentando, pois também somos um poço de amor. Saibamos explorá-lo.

Não vamos deixar o orgulho, a vaidade e o egoísmo tomarem conta de nós. É nosso dever reconhecermos nossas qualidades e colocá-las em prática, de acordo com o propósito maior de nossa vida. 

Paciência, perseverança, aceitação, compreensão. E, compaixão - por que não?!

Tenhamos sempre um gesto de carinho com o outro... e para conosco.

Merecemos, podemos.

Vamos!"

Fernando Mansur, A Alma em Fragmentos, Teosofia em Gotas, p. 47.
Imagem: Pinterest.
 

terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

EGOÍSMO

"EGOÍSMO, primogênito da Ignorância e fruto do ensinamento que afirma que para cada recém-nascido é 'criada' uma alma nova, separada e distinta da Alma do Universo - este Egoísmo é o muro intransponível entre o Eu pessoal e a Verdade. É a mãe prolífica de todos os vícios humanos, a Mentira que nasce da necessidade de simular, e a Hipocrisia do desejo de mascarar a Mentira. É o fungo que cresce e se fortalece com o tempo no coração de cada ser humano, do qual devorou todos os melhores sentimentos. O egoísmo mata todo impulso nobre em nossa natureza, e é a deidade única que não teme a deslealdade nem a deserção de seus devotos. Daí, vemos ele reinar supremo no mundo e na assim chamada sociedade elegante. Como resultado, vivemos. nos movemos e levamos nossa existência nessa deusa das sombras, sob seu trinitário aspecto da Hipocrisia, Fraude e Falsidade, chamada RESPEITABILIDADE."

É isto Verdade e Fato ou calúnia? Volte-se para onde quer que seja e verá, do alto até a parte mais baixa da escala social, engano e hipocrisia em funcionamento para o bem do querido Eu, em todas as nações, bem como em todo indivíduo. Mas as nações decidiram, por tácito acordo, que motivos egoístas na política devem ser chamados de 'nobres aspirações nacionais, patriotismo', etc.; e o cidadão vê isso em seu círculo familiar como 'virtude doméstica'. Não obstante, o Egoísmo, seja quando ele desperta desejo por engrandecimento de território ou competição no comércio às expensas do semelhante, jamais pode ser considerado uma virtude. (...)"

Coletânea de Textos de Helena Petrovna Blavatsky, Volume I, Ed. Teosófica, Brasília, 2022, p. 25/26.
Imagem: Pinterest.
   

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

A JUVENTUDE É UM ESTADO DA MENTE E DA ALMA, ASSIM COMO DO CORPO

"Todos querem ser jovens. De um jeito ou de outro, todos buscam a lendária 'Fonte da Juventude'. Mas o que é a juventude? Nem todas as pessoas de pouca idade são necessariamente jovens, algumas estão envelhecidas e esgotadas muito além de sua idade. Em contraste, há pessoas mais velhas que se conservam jovens apesar da idade avançada. Essas pessoas mantêm a mente jovem; seu sorriso nasce da alma e se espalha pelo rosto e pelo corpo; sua vida pulsa com a alegria de existir. E há pessoas sem graça, insípidas, que vivem como se estivessem mortas - e nem se dão conta disto. São os 'mortos-vivos'. Você deve conhecer muitas pessoas assim: negativas, críticas, mal-humoradas, sem vida. Não há desculpa, para manter um estado de espírito errado. Seja sempre positivo, sorridente, vibrante, alegre. Pratique, como puder, a juventude mental que provém do âmago de seu ser.

Portanto, a idade física não tem relação direta com a juventude. É o estado mental e a expressão da alma que tornam uma pessoa jovem. A definição de juventude é aquele estado físico, mental e espiritual em que a pessoa se sente no ápice, no zênite da alegria e da sua força. Se quiser, você pode manter esse estado indefinidamente; por outro lado, pode perdê-lo facilmente se não tomar cuidado. 

Primeiro, consideremos o aspecto mental do assunto. A mente é a controladora; quer dizer, é quem está no comando do corpo. O próprio corpo é desenhado pela mente. Somos a soma total da consciência que nós mesmos criamos durante várias encarnações. A mente, ou consciência, é a força suprema que governa todas as atividades voluntárias e involuntárias de nossa fábrica corporal com variados produtos."

Extraído do livro Jornada para a Autorrealização, de Paramahansa Yogananda, Self-Realization Fellowship, p. 5.
Imagem: Pinterest.