OBJETIVOS DO BLOGUE

Olá, bem-vindo ao blog "Chaves para a Sabedoria". A página objetiva compartilhar mensagens que venham a auxiliar o ser humano na sua caminhada espiritual. Os escritos contém informações que visam fornecer elementos para expandir o conhecimento individual, mostrando a visão de mestres e sábios, cada um com a sua verdade e experiência. Salientando que a busca pela verdade é feita mediante experiências próprias, servindo as publicações para reflexões e como norte e inspiração na busca da Bem-aventurança. O blog será atualizado diariamente com postagens de textos extraídos de obras sobre o tema proposto. Não defendemos nenhuma religião em especial, mas, sim, a religiosidade e a evolução do homem pela espiritualidade. A página é de todos, naveguem a vontade. Paz, luz, amor e sabedoria.

Osmar Lima de Amorim


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

OS GRANDES SERES

"O limitado número de Seres que ainda trabalha diretamente para o nosso benefício pode ser dividido em duas classes: os que ainda mantêm corpos físicos e os que não os têm. Estes últimos são com frequência chamados de Nirmanakayas. Eles se mantêm suspenso, por assim dizer, entre esse mundo e o nirvana, devotando todo o seu tempo e energia à geração de força espiritual em benefício da humanidade. Essa força é vertida no que pode ser descrito como um reservatório, usado pelos Mestres e seus discípulos, para ajudar o seu trabalho em prol da humanidade. O Nirmanakaya tem sido chamado de ‘candidato ao sofrimento’ por permanecer em contato com os planos inferiores em tal grau, mas isso é enganoso. O que essa frase quer dizer é que ele não desfruta da alegria do trabalho superior ou dos níveis nirvânicos. Ele escolheu permanecer nos planos inferiores para ajudar os que ainda sofrem. É bem verdade que voltar da vida superior para esse mundo é o mesmo que sair de um ambiente iluminado pelo Sol e pleno de ar puro e entrar em masmorras escuras e mal cheirosas; porém, aquele que entra na masmorra para ajudar alguém a sair de lá não se sente infeliz e miserável enquanto ali permanece, e, sim, pleno de alegria por poder ajudar, apesar do enorme contraste e do terrível sentimento de opressão e aprisionamento. Na verdade, recusar uma oportunidade dessas de prestar auxílio certamente provocaria muito mais sofrimento na forma de remorso. Uma vez que tenhamos realmente visto a miséria espiritual do mundo e a condição dos necessitados, nunca mais poderemos ser descuidados ou indiferentes em relação a isso, como aqueles que ainda não viram."

(C. W. Leadbeater - A Vida Interna - Ed. Teosófica, Brasília - p. 30)


Nenhum comentário:

Postar um comentário