OBJETIVOS DO BLOGUE

Olá, bem-vindo ao blog "Chaves para a Sabedoria". A página objetiva compartilhar mensagens que venham a auxiliar o ser humano na sua caminhada espiritual. Os escritos contém informações que visam fornecer elementos para expandir o conhecimento individual, mostrando a visão de mestres e sábios, cada um com a sua verdade e experiência. Salientando que a busca pela verdade é feita mediante experiências próprias, servindo as publicações para reflexões e como norte e inspiração na busca da Bem-aventurança. O blog será atualizado diariamente com postagens de textos extraídos de obras sobre o tema proposto. Não defendemos nenhuma religião em especial, mas, sim, a religiosidade e a evolução do homem pela espiritualidade. A página é de todos, naveguem a vontade. Paz, luz, amor e sabedoria.

Osmar Lima de Amorim


quinta-feira, 25 de setembro de 2014

TORNE-SE CONSCIENTE DE DEUS

"Deus, que está também aqui, oniabarcante, pode ser claramente conhecido por meio de um mantra (meditação sobre uma significativa fórmula mística), Mantenha o mantra. Sobre ele se concentre (vale como o ajustamento ao comprimento de onda), com Amor (vale como a sintonia), e você se tornará consciente de Deus (isto é, ouvir o programa onipresente). Se a sintonia não estiver acurada, você corre o risco de escutar aborrecimento, e não o que quer.

Remova todos os traços de salinidade do solo de seu coração; adicione-lhe o complemento precioso que é o  Nome do Senhor; regue-o com água da fé. Depois plante as mudas da Divindade; tenha a disciplina como se fosse uma cerca; e a firmeza, como pesticida a ser espargido. Então, poderá colher a preciosa colheita de jnana (Sabedoria) que, para sempre, o libertará das tarefas do cultivo. Aqueles que riem dos que praticam bhajans (cânticos devocionais) e visitam os templos ou ouvem pregações sobre Deus não experimentaram o néctar, e estão portanto com preconceitos contra ele. Tenha pena deles porque não sabem o que perdem."

(Sathya Sai Baba - Sadhana O Caminho Interior - Ed. Nova Era, Rio de Janeiro, 1993 - p. 114)


Nenhum comentário:

Postar um comentário